Home / Destaque / Desportiva e Santa Marta são excluídos do Amador de Várzea
Sessão (22)

Desportiva e Santa Marta são excluídos do Amador de Várzea

Decisão da Unidade Gestora de Esportes diz que a decisão é irrevogável; torcidas e dirigentes protestaram na Câmara Municipal

O campo do Cruz Alta foi palco de uma confusão generalizada durante a partida entre as equipes do Nova Desportiva e Santa Marta no último domingo (14), que acabou gerando briga entre jogadores e torcedores. Como resultado as equipes foram excluídas da competição o que causou revolta entre os dirigentes de ambas as equipes.

Por isso, na noite desta terça-feira (16), membros da diretorias dos dois times e torcedores foram à Câmara Municipal (foto) tentar através dos vereadores tentar reverter esta decisão da Unidade Gestora de Esportes.

Segundo o presidente do Desportiva, Edvan Alves e do diretor do Santa Marta, João Bosco, durante a competição ocorreram episódios semelhantes em outras partidas e não houve uma punição tão severa como aplicada a suas equipes.

Segundo explicou Edvan, a confusão começou quando o Desportiva estava ganhando e após a bola ir para fora, um jogador do Desportiva que já estava substituído pegou a bola e não queria devolver. Em seguida um atleta do Santa Marta que também havia sido substituído foi tirar satisfação. “Este tumulto acabou gerando uma confusão generalizada e eu e o diretor do Santa Marta tentamos acalmar os ânimos e quando estávamos conseguindo uma lata acertou um dos jogadores e isso incendiou a situação”, explicou.

O dirigente diz que é totalmente favorável que os jogadores sejam punidos, mas não acha justo que as equipes paguem por isso. “Já tivemos vários episódios semelhantes durante a competição e não houve nenhuma punição tão rigorosa”, salientou João.

Em entrevista exclusiva ao Portal do JV Regional, o gestor de Esportes Thiago Silso das Neves afirmou que a decisão da Comissão de Esportes é irrevogável e explicou que as duas equipes já vinham apresentando problemas durante o campeonato e que a briga do último domingo foi uma falta grave. “Diante dessa situação não tem como tomar outra decisão a não ser a eliminação das equipes da competição”, enfatizou, observando que as equipes que disputam o amador não tem custos e o que se espera é que se respeitem. “Queremos que o Amador de Várzea Paulista seja um momento de lazer para as famílias e não um campo de guerra. Não dá para colocar uma viatura da Guarda m cada campo”.

Para ele, os jogadores e as torcidas precisam entender que as punições são sérias e se punir apenas os jogadores, as torcidas vão continuar com este clima e brigando. “Poderia ter sido muito pior e com certeza eu iria responder pelos acontecimentos. O futebol tem de ser paz e não confronto”, destacou. Além disso, ele criticou o fato de a torcida do Desportiva ter ido protestar em frente a sua casa. “As equipes tem o direito de protestar e até de recorrer da decisão, o que não pode é ficar ofendendo os gestores”.

Thiago explicou que vai receber uma comitiva de vereadores, uma vez que na sessão desta terça-feira (16), dirigentes e torcedores das duas equipes foram à Câmara e uma comissão de dirigentes foi recebida pelos parlamentares. Mas, Thiago adiantou que se houver uma revogação desta decisão da Unidade Gestora por parte dos vereadores, em 2019 ele abre mão do Amador de Várzea Paulista e vamos investir em outros esportes.  “Não podemos compactuar com a violência nos nossos campos. Isso repercutiu negativamente até em nível nacional e por isso tomamos a decisão  que julgamos a mais correta”, salientou.

 

 

 

Leia também

diabetes-mellitus

‘Diabetes diz respeito a toda família’, destaca campanha no Dia Mundial da Diabetes

Campanha do Dia Mundial do Diabetes tem como foco o envolvimento familiar Quando uma pessoa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com