Home / Educação / Neurologista vem ao HU capacitar profissionais de saúde para atuar efetivamente junto à população na conscientização sobre doação de órgãos
SPOT-HC lidera captação de coração no estado_miolo

Neurologista vem ao HU capacitar profissionais de saúde para atuar efetivamente junto à população na conscientização sobre doação de órgãos

Resistência das famílias em doar órgãos é de 35% a 40% diante de uma fila de 45 mil pacientes

O renomado neurologista Dr. Luiz Antonio da Costa Sardinha, é o convidado do Hospital Universitário de Jundiaí (HU) desta terça-feira, dia 10, para realizar palestra sobre o “Panorama atual de transplantes e captação de órgãos no Brasil”. O evento ocorre em parceria com a Comissão Intrahospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) da Unicamp e é destinado a médicos, estudantes de medicina, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos.

Dr. Sardinha é coordenador da Organização de Procura de Órgãos do Hospital das Clínicas da Unicamp, membro da Câmara Técnica de Neurologia e Doação de Órgãos do Conselho Federal de Medicina e conselheiro do CRM de São Paulo.

Atualmente, de acordo com dados do site brasil.gov.br/saúde, mais de 45 mil pacientes estão cadastrados na lista do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil a espera de uma doação. O rim é o órgão mais requisitado, seguido de córneas e fígado. Diante de um cenário com número tão expressivo, Dr. Sardinha declarou recentemente, em entrevista concedida à revista Vera Cruz Viva Bem, que é fundamental o engajamento e conscientização de equipes de saúde e da população. “Atualmente a média é de 35% a 40% de recusa dos familiares em aceitar a doação de órgãos. Apenas 25% concordam”, lamenta. “É fundamental a quebra de paradigmas e a potencialização de informações corretas sobre todo o procedimento”.

Os médicos e enfermeiros exercem papel fundamental para que haja menor índices de recusa de doação por parte das famílias. São estes profissionais que devem estar capacitados para abordar de forma correta os familiares, fornecer acolhimento e com conhecimento correto desmitificar a doação de órgãos. No HU, o índice de doação de órgãos não é expressivo, no último ano, ocorreu apenas a doação de uma córnea. Fato que se deve, em boa parte, ao empenho dos profissionais para salvar vidas e evitar a morte encefálica, quesito básico para que se proceda com processo de doação.

A palestra com Dr. Sardinha é mais uma investida do HU e da FMJ em preparar seu corpo clínico de forma integral, tendo profissionais cada vez mais capacitados e preparados para prestar assistência de alta qualidade para a população de Jundiaí e região. O evento será às 14 horas, no Anfiteatro do Hospital Universitário.

Leia também

Cartorio eleitoral (2)

Cartório Eleitoral em Várzea Paulista faz mutirão para cadastro biométrico neste sábado (9)

O Cartório estará aberto  nos dias 9 e 16 de dezembro, das  9 às 18 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com