Home / Destaque / ‘A reurbanização da Vila Real é a maior obra de nosso governo’, afirma Juvenal Rossi

‘A reurbanização da Vila Real é a maior obra de nosso governo’, afirma Juvenal Rossi

No 53º Aniversário de Várzea Paulista, prefeito também comemora construção do Complexo Viário da Ponte Seca, inauguração da creche Proinfância do Jardim Itália, entre outros feitos; momento é de reconstrução da autoestima do município

O prefeito de Várzea Paulista, Juvenal Rossi, acredita que a cidade tem muito a comemorar, ao completar 53 anos de emancipação, na quarta-feira — 21 de março. Uma obra praticamente concluída enche de orgulho o gestor: a reurbanização da Vila Real, realização que deve permitir, nos próximos anos, a regularização das residências do bairro, já renovado pelos trabalhos empreendidos desde o ano passado.

Em meio às comemorações, também se destacam, na avaliação do administrador, o Complexo Viário da Ponte Seca; a nova creche do Jardim Itália, que será inaugurada neste sábado (24); a obtenção do índice de reconhecimento como excelente pagadora (AA), pelo Tesouro Nacional, no ano passado; e os avanços nas obras de contenção de enchentes do Córrego Bertioga.

Novos tempos na Vila Real

“Quando chego lá hoje, com a gratidão que os moradores têm demonstrado para com a Prefeitura, vou sair bastante farto de tanto ‘cafezinho’ tomado. É o reflexo do carinho da população. A reurbanização da Vila Real é a grande obra de nosso governo”, celebra o prefeito, após o grande conjunto de intervenções públicas feito desde março de 2017, no bairro.

Segundo Rossi, a Vila Real, até 1965, era o Sítio do Morro. “A partir desse momento, foi dado início a uma urbanização parcial e começaram as promessas de regularizar a área, mas que, antes do início de nossa gestão, nunca se concretizaram”, relata.

A gestão municipal iniciada em 2012 tomou uma importante decisão, mesmo ciente de que provavelmente não traria dividendos políticos consideráveis. “Os políticos podem se diferenciar por realizarem ações para a próxima eleição ou a próxima geração. Fizemos a segunda opção”, declara Rossi.

A partir daí, foi necessário adotar uma série de procedimentos para tornar real o sonho de tornar reais as melhorias sonhadas pela população local, tão necessárias à possibilidade de legalizar as casas lá existentes. “Realizamos o levantamento topográfico e o projeto executivo; salvamos o convênio com o Governo Federal e pusemos mãos à obra, para a reurbanização iniciada no ano passado e quase concluída, neste momento. Diversos trabalhos foram feitos, como a pavimentação de 36 vias e as 12 escadas hidráulicas, instalações de coleta de esgoto. Hoje o bairro vive uma nova realidade e espero que, até o final de nosso atual mandato (dezembro de 2020), possamos entregar os títulos de posse aos moradores, para que cada um seja de fato dono do seu imóvel e possa deixá-lo como herança para os filhos, financiar venda ou realizar outros trâmites disponíveis”.

Em breve, os moradores poderão ter suas casas finalmente legalizadas. “A população de lá que pagar seus impostos, mas está impossibilitada. O IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), por exemplo, não pode ser lançado pois eles não têm a posse dos imóveis hoje”, explica o prefeito.

Histórico, Complexo da Ponte Seca unirá regiões da cidade

Rossi faz questão de relatar um pouco do histórico da construção do Complexo Viário da Ponte Seca, que tem o Viaduto como parte principal. Os trabalhos estão em sua fase final. “Essa empreitada começou como um grande desafio, não só pelo investimento necessário, mas pela autorização dos órgãos competentes para transpormos a ferrovia. A inauguração deve ser feita no final do mês que vem, quando já acertamos e executarmos os últimos detalhes”.

O Viaduto dos Emancipadores, no Centro, bastante congestionado nos horários de pico, hoje simplesmente não pode ser interditado para manutenções, já que é a única ligação entre regiões diferentes da cidade. Hoje, uma ambulância, por exemplo, teria que fazer um trajeto muito maior para sair da Vila Real e chegar à região central. Com o Viaduto novo, a realidade mudará sensivelmente. “Trata-se de uma construção muito importante para podermos realizar possíveis reparos no Viaduto dos Emancipadores, quando necessário”.

A nova ligação vai desafogar o Viaduto existente atualmente. “Hoje, alguns ônibus, para acessar a alça que leva ao lado da Marginal do Rio Jundiaí no sentido Campo Limpo Paulista, alguns ônibus, por exemplo, travam essa ligação”, explica o prefeito.

Quem quiser sair da Região Norte e chegar à região do Jardim Promeca também será beneficiado e poderá usar o novo trevo já inaugurado, parte da reurbanização feita nos últimos meses, e acessar a pequena ponte que liga as duas Marginais do Rio Jundiaí, para, poucos metros depois, chegar ao novo viaduto, prestes a ser inaugurado. “Em poucos minutos, esse condutor chegará ao Jardim Promeca. Hoje, para fazer o trajeto, ele precisa se dirigir necessariamente ao Viaduto dos Emancipadores”, compara Rossi.

Nos horários de pico, a nova construção vai diminuir o congestionamento no Viaduto dos Emancipadores e na Marginal do Rio Jundiaí e, finalmente, vai unir a Região Norte ao restante da cidade.

O investimento total será de R$ 4,2 milhões — R$ 2,5 milhões do Governo Estadual e R$ 1,7 da Prefeitura.

Creche do Jardim Itália

Neste sábado (24), terá desfecho uma história de muita superação para a construção da creche Proinfância do Jardim Itália. “Quando assumimos a Prefeitura, essa obra ainda estava no papel, mas com muitos problemas. O prédio não cabia no terreno, mas, felizmente, conseguimos alterar o projeto e utilizar parte de outro terreno, também nosso. A obra estava licitada, mas sem dinheiro na conta. Por isso mesmo, precisamos gastar um pouco mais do que o planejado A medida, necessária para garantir a estabilidade da edificação, representou um aditivo de R$ 423.563,95, ou seja, um acréscimo ao custo total da construção”.

Também houve desvio de recursos para outra finalidade, por parte da administração encerrada em 2013, de R$ 500 mil.

Apesar de todas essas dificuldades, a creche Proinfância do Jardim Itália será inaugurada neste sábado (24), às 10 horas. “É uma construção que exige todo um acabamento e traz inclusive um grande espaço para uma horta educativa, no centro do pátio. As crianças sentirão que se trata de um modelo diferenciado, do berçário aos espaços para as crianças de até 3 anos”.

A nova unidade escolar tem capacidade para 290 alunos, de 0 a 3 anos de idade. Serão atendidas as crianças inscritas em 2017 que realizaram opção por essa unidade e ainda estão na lista de espera. Serão atendidos bairros da região do Jardim Itália, Vila Popular, Jardim Bertioga, entre outros locais próximos à Unidade.

E o trabalho infantil deve ter um novo reforço nos próximos anos. “Há 15 dias, estive com o governador Geraldo Alckmin, que já nos informou que em breve, até mesmo pela responsabilidade financeira demonstrada por nossa administração, seremos contemplados com uma creche no bairro Cidade Nova II”.

A Educação Infantil tem tido um cuidado muito especial por parte da gestão municipal. “Queremos fazer tudo da melhor forma possível, para atendermos à demanda existente, sem simplesmente transformar as creches em depósitos de crianças. Não basta simplesmente construir ou alugar prédios. Necessitamos contratar os funcionários qualificados para esse trabalho, dentro do que a Lei de Responsabilidade Fiscal nos permite. É preciso sermos responsáveis”, defende o prefeito.

Responsabilidade fiscal e planejamento dão frutos

A administração municipal, com bastante responsabilidade e trabalho, tem conseguido trazer um grande reconhecimento à cidade. “No dia 28 de janeiro, conseguimos pagar a última parcela da dívida com fornecedores herdada em 2013 — R$ 25 milhões. O acordo para o pagamento dos débitos com o fundo previdenciário de nossos servidores também está em dia. Por isso, hoje temos um crédito fantástico e a Prefeitura foi reconhecida como excelente pagadora (AA), pelo Tesouro Nacional, no ano passado. Somos uma das 100 cidades brasileiras de posse desse título”.

Com esse status, Várzea Paulista vive um momento histórico. “O reconhecimento é fruto do modelo de gestão adotado pelo Governo Municipal nos últimos anos. Isso mostra que temos poder de contrair investimento, sem oferecer riscos ao ente financiador ou comprometer o cumprimento de despesas básicas da administração municipal”.

No IEGM (Índice de Efetividade da Gestão Municipal), do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, o Município foi classificado, recentemente, como cidade muito eficiente (B+) – maior nota atribuída aos municípios avaliados; Várzea Paulista está entre os 73 melhor colocados e é a única cidade do AUJ (Aglomerado Urbano de Jundiaí) que recebeu essa nota. Assim, ficou à frente de todas as demais, inclusive Jundiaí, que obteve nota B.

Considerado um dos principais pontos de atenção e de pior desempenho entre todas as gestões, o quesito Planejamento em Várzea Paulista também obteve destaque, recebendo nota B. “No ano passado, criamos a Unidade Gestora de Planejamento e Inovação, que trabalha para que todas as pastas da Prefeitura gastem apenas o que arrecadarem. Dessa forma, agimos com maior responsabilidade na realização das ações de cada setor”.

A educação da cidade também tem se destacado muito. “Tivemos recentemente nosso melhor Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) da história — 6,4. A nota supera as médias estadual e nacional”.

Trabalho no Córrego Bertioga

O complexo, bastante desafiador, tem tido andamento sob o comando do Governo Municipal. “Essa obra teve o convênio com a União aprovado em 2011, cheia de problemas, mas já adiantamos bastante as intervenções previstas no projeto executivo que precisamos realizar quando assumimos a Prefeitura, em 2013. O coração dela é o reservatório, que está sendo escavado na área próxima ao antigo Sítio dos Padres”, destaca o prefeito.

Para solucionar o problema de enchentes, a obra está tendo um cuidado muito especial por parte do prefeito. “É preciso responsabilidade. Ampliar a vazão sob a Avenida Fernão Dias Paes Leme já seria muito importante para evitar alagamentos no trecho entre ela e a Rua Atroaris, mas isso transferiria o problema à região do Jardim do Lar, que, esta sim, é muito populosa. Precisamos aumentar a vazão abaixo da ferrovia e queremos incluir isso na obra, para tornar ainda mais difíceis os alagamentos” — declara. “A empresa licitada, hoje, não pode reclamar de falta de repasses federais e temos experimentado dificuldades com ela. Temos dinheiro em conta para pagar próximas medições, mas é preciso registrar o avanço e, aí sim, quitá-lo. Vamos adotar as medidas para que as obras possam prosseguir o mais rápido possível”.

O prefeito relembra várias intervenções já feitas. “Muito já foi feito, inclusive os trabalhos entre as Avenidas Fernão Dias Paes Leme e Ipiranga, com a instalação de mais de 280 aduelas, viabilizada por um convênio com o Governo Estadual”, recorda. “E a primeira realização feita no Córrego Bertioga foi a retirada do esgoto, feita no primeiro ano de nosso primeiro mandato (2013). Foi por isso que o McDonald’s se instalou na cidade. Uma franquia desse porte não viria ao nosso município com o forte cheiro de esgoto existente ali anteriormente”, destaca.

O saneamento básico da cidade vive uma outra realidade. “Essa ação foi importante para saltarmos de 3% para 95% de esgoto coletado, afastado e tratado, índice atual. O Rio Jundiaí inclusive é uma fonte de abastecimento de água para a cidade, já que suas águas já podem ser tratadas e levadas às residências varzinas”. No Córrego Bertioga, já há até mesmo vida, com a presença de alguns cardumes de peixes e garças.

“É preciso que as pessoas vejam essa obra não como algo meramente artístico, mas sim como um trabalho que tem consequências e precisa ser feito com responsabilidade, para garantir um futuro tranquilo ao nosso povo”, finaliza Rossi.

Mensagem ao povo varzino

O prefeito Juvenal Rossi entende que a cidade vive um momento de reconstrução de seu amor-próprio e deseja que a esperança seja a bola da vez, entre os varzinos. “Os munícipes estão começando a entender que sozinho ninguém faz nada. E todos estão com essa esperança. Hoje, muitos varzinos que olhavam a cidade até mesmo com tom pejorativo, sentem que podem fazer a diferença, mais até do que o prefeito”.

Nesse sentido, Rossi está otimista e quer deixar um bom legado com a administração municipal atual. “Espero que, de agora em diante, todos façam, cada vez mais, sua parte e, junto da administração pública municipal, a autoestima passe a ser grande, para que todos cuidem da cidade”, opina.

O progresso já está começando e, com o apoio de todos, a ideia é que ele cresça sempre mais. “A cidade tem experimentado a vinda de empresas com capacidade de trazer novos investidores e isso nos dá esperança de uma Várzea Paulista cada vez melhor”.

 

 

 

Leia também

ESPORTE – Louveira abre pré-inscrição para 23 modalidades de escolinhas esportivas nesta terça-feira (11)

Pré-Cadastro pode ser feito por formulário disponível no site da Prefeitura, telefone, e-mail ou whatsapp …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com