Home / Destaque / Janeiro Roxo: Jundiaí aponta seis casos em 2021 e faz alerta ao diagnóstico precoce da hanseníase
Avaliação de mancha branca na pele, que está entre os sintomas da hanseníase

Janeiro Roxo: Jundiaí aponta seis casos em 2021 e faz alerta ao diagnóstico precoce da hanseníase

O Dia Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase é celebrado no dia 30, por meio do “Janeiro Roxo”. A Prefeitura de Jundiaí destaca para a população a importância da conscientização da doença. Os munícipes devem se atentar aos sintomas para um diagnóstico precoce e maiores chances de tratamento em uma ampla rede de atendimento gratuitos em Jundiaí.

Uma doença infecciosa e contagiosa, apresenta manchas brancas ou avermelhadas na pele e precisa de atenção. Em 2020, houve 12 munícipes notificados e seis seguem em tratamento atualmente. No ano seguinte, 2021 apontou seis notificados e quatro seguem em tratamento, todos em Jundiaí.

O município promove ações no “Janeiro Roxo” para esclarecimento de mais detalhes do tema. O agendamento de consultas por meio do site da Prefeitura acontece de forma rápida e fácil: Serviços ao Cidadão > Saúde > Agendamento de Consultas Médicas.

A doença tem maiores chances de cura quando o diagnóstico é precoce, ou seja, atenção deve ser redobrada para avaliação no início da doença, para evitar a ocorrência de sequelas graves que podem gerar incapacidades físicas. “Vale lembrar que o tratamento é gratuito no município e realizado nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para atendimento e encaminhamentos necessários”, ressalta a diretora de Vigilância em Saúde, Fauzia Abbas Raiza. O processo é constituído pela associação de três medicamentos, denominado poliquimioterapia.

Na imagem há a mão de um profissional de saúde aplicando um teste com a ponta vermelha de hanseníase, no braço de um paciente de camiseta azul.
Teste de hanseníase em meio aos atendimentos que acontecem nas UBSs do município, com profissionais de Saúde capacitados

As equipes de Atenção Básica (Clínica da Família, Nova UBS e UBSs) reafirmam a atenção para outros sintomas, como a perda de sensibilidade e formigamentos no corpo. Lembrando que, as informações dos pacientes são analisadas e, em caso de suspeita, são realizados os exames necessários.

O contágio pode acontecer por meio de pacientes sem tratamento pelo aparelho respiratório superior (secreções nasais, gotículas da fala, tosse, espirro). A prevenção baseia-se no exame dermato-neurológico e aplicação da vacina BCG em todas as pessoas que compartilham o mesmo domicílio com o portador da doença.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com