Home / Destaque / Aumento dos casos de acidentes com moto preocupa moradores de Jundiaí

Aumento dos casos de acidentes com moto preocupa moradores de Jundiaí

Os casos de acidentes de trânsito estão preocupando os moradores de Jundiaí (SP). Nos três primeiros meses de 2019, 16 pessoas já morreram no trânsito. A metade envolvendo acidentes com motos e a maioria causada pela imprudência dos motoristas.

No mesmo período do ano passado foram 17 mortes e em 70% dos casos as pessoas estavam de moto.

Toda semana, pelo menos 10 pessoas dão entrada no Hospital São Vicente de Paulo por se envolverem em acidentes com moto. Somando os casos do ano todo, já foram 177 atendimentos e 80% das vítimas são homens com idades entre 18 e 24 anos.

Segundo informações do hospital, o número de 2019 é 22% maior do que no mesmo período do ano passado.

Uma imagem mostra um homem no chão que estava de moto e acabou batendo em um carro, próximo ao terminal rodoviário da Colônia. Em outra gravação, o resgate do Corpo de Bombeiros socorre um motociclista que bateu em outra moto na Avenida Jundiaí.

“Nós atuamos diretamente na questão de educação no trânsito, prestando palestras nas empresas ressaltando a questão da direção segura e temos o apoio da Polícia Militar na fiscalização direta das motos, na blitz e na apreensão de motos irregulares”, explica o diretor de Trânsito, Wlamir Lopes da Costa.

Câmeras de segurança registraram o motorista de um carro cruzando a Avenida Antônio Frederico Ozanan e acertando em cheio a moto. Com a força do impacto, o piloto foi parar a 30 metros de distância, atrás de um poste.

No mesmo cruzamento, mais um acidente foi registrado. Só que, desta vez, é o motociclista quem cruza a avenida e bate no carro. Ele se machuca e não consegue levantar.

Em outro flagrante, um atropelamento e a moto chega a capotar. O acidente foi na Avenida Rio Branco. O homem que tenta atravessar fora da faixa de pedestres se machuca e fica no chão.

Na Avenida Antônio Frederico Ozanan, no cruzamento com a Avenida São João, outro atropelamento. Um homem atravessa entre os carros e o motociclista não consegue frear.

Na Avenida Rio Branco, mais um caso. Um entregador segue com a moto, um veículo faz uma manobra proibida e causa o acidente. O piloto se levanta e tem ferimentos leves.

Outro caso também poderia ter sido evitado. Era só a pessoa que dirige o carro não ter ultrapassado o “pare”. Além de causar o acidente, o motorista foge sem prestar socorro.

O motoboy Kauê Felipe de Oliveira está há 15 dias no hospital. Ele trabalha com entregas e foi parar no local depois que um motorista bêbado entrou na contra-mão e o acertou em cheio.

“Praticamente a hora que eu buzinei parece que ele, não sei se ele se distraiu em algum lugar do freio ou apertou o acelerador, mas ele veio com tudo na minha perna. Se o rapaz não tivesse embriagado, ele não tinha me acertado”, conta.

Ele passou por cirurgia e só deve voltar a trabalhar daqui um ano. O analista de sistemas Heber Arrivabene também está afastado do serviço. Ele quebrou a perna em dois lugares, terá que passar por cirurgia e só deve se recuperar em seis meses.

“O carro imbicou muito próximo de mim para entrar junto comigo, eu buzinei e ele não freou. Quando ele ouviu a buzina, ele acelerou mais para passar na minha frente. Só que nisso não dava mais tempo e ele acertou a lateral da minha moto, pegando a minha perna. Tenho dois empregos hoje e os dois estão parados por conta de uma situação que poderia ter sido evitada”, relata.

(Fonte: G1)

Leia também

Juros para famílias e empresas sobem em agosto, diz BC. Endividamento das famílias bate recorde de 59,9% em junho

As famílias e as empresas pagaram taxas de juros mais altas em agosto, de acordo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com