Home / Destaque / Campo Limpo Paulista segue sem coleta de material reciclado desde 2017

Campo Limpo Paulista segue sem coleta de material reciclado desde 2017

Os moradores de Campo Limpo Paulista (SP) continuam sem a coleta de material reciclável. Segundo a cooperativa que faz o trabalho de separação dos materiais, desde 2017 a prefeitura não paga o caminhão que passava pelos bairros.

Os moradores que querem fazer a separação do material precisam andar vários quilômetros até a cooperativa para que os materiais sejam reciclados.

O motivo, segundo os cooperados, é o descaso da prefeitura. Do convênio assinado em 2015 com validade até 2020, a prefeitura só cumpre o pagamento do aluguel do espaço.

A situação já havia sido exposta em maio de 2019 pela rede TV Tem. Na época, a prefeitura disse que ia estudar uma forma de normalizar a situação, mas até agora os cooperados não tiveram nenhuma resposta.

A coordenadora da cooperativa, Silvana Marcelino, teve que arcar com as despesas para não suspender os trabalhos. “Desde 2017 que eles cortaram o contrato com o caminhão. Só que eles cortaram isso sem um aviso prévio, sem comunicar a cooperativa”, conta.

Antes, a coleta de materiais recicláveis era feita de segunda a sexta-feira, mas agora acontece somente quando dá para pagar o caminhão, e a falta da coleta fez cair a produtividade. Em um ano, a cooperativa perdeu 10 funcionários por não conseguir manter os pagamentos.

A cooperativa consegue recolher apenas uma tonelada de material reciclável por semana. Quando a prefeitura ainda arcava com as despesas do caminhão, ela recolhia até 35 toneladas de recicláveis por mês e ainda conseguia passar em seis bairros por dia.

“A gente mantém a cidade limpa, conscientiza a população da importância desse trabalho e vai estar ajudando muitas família aqui”, diz a coordenadora.

O material reciclável que o aposentado Leandro Camilo Esteves separa era recolhido pela cooperativa, mas agora fica na calçada e é recolhido pela coleta de lixo comum.

“A rua inteira recicla, mas não temos quem pega, vai fazer o quê? Uma coisa que podia ser aproveitada estamos jogando fora”, reclama.

O aposentado Carlos Grossi cansou de esperar o caminhão da coleta seletiva. Ele coloca todo o material no carro e toda semana leva para a cooperativa.

Para manter a cidade limpa e ajudar quem precisa trabalhar, Neusa Triervailer, que mora a oito quilômetros da cooperativa, leva o material dela e dos vizinhos a cada 15 dias.

“O ser humano é disponível, é gentil e ele é cooperador, mas muitas vezes ele não tem a iniciativa de como fazer isso. Então, se os nossos dirigentes, prefeitos e vereadores tivessem alguns projetos nesta área, certamente o povo se uniria”, diz a aposentada.

A Prefeitura de Campo Limpo Paulista disse que a licitação para um novo caminhão para a cooperativa poder recolher o material reciclável na cidade está em andamento, ainda na fase de orçamento.

O descarte irregular de lixo e entulho é crime ambiental, previsto em uma lei municipal. A multa pode passar de R$ 2 mil.

(Fonte: G1)

Leia também

SAT Louveira terá processo seletivo com 30 vagas de emprego para quatro funções na próxima quinta-feira (11)

Interessados devem levar currículo e documentos pessoais à Rua Antonio Chicalhone, 303, a partir das …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com