Home / Destaque / Caso Lara: mãe cria vaquinha virtual para ajudar família após morte de adolescente

Caso Lara: mãe cria vaquinha virtual para ajudar família após morte de adolescente

Lara Maria Oliveira Nascimento, de 12 anos, foi achada morta três dias depois de desaparecer, em Campo Limpo Paulista (SP).

A mãe da adolescente Lara Maria Oliveira Nascimento, de 12 anos, que foi encontrada morta em uma área de mata em Campo Limpo Paulista (SP), no dia 19 de março, criou uma vaquinha virtual para ajudar a família com os custos financeiros após o crime.

Luana Nascimento, mãe da vítima, trabalhava com venda de bolos, doces e decoração de festas, mas ainda não conseguiu voltar a fazer as encomendas. Desde a tragédia, ela também não conseguiu mexer nos utensílios da garota, que a ajudava na cozinha. Já o pai da adolescente precisou ser afastado do trabalho.

O casal tem outras duas filhas e, para sustentar a casa, a família tem contado com a ajuda de amigos. Por isso, eles criaram a vaquinha.

Até o momento, foram arrecadados R$ 1,4 mil, mas a meta é chegar aos R$ 5 mil. Na descrição do site, Luana diz que o dinheiro também ajudará outras mães e crianças, e afirma que pretende mudar de casa.

“A mamãe pretende se mudar, pois aqui é um lugar de muita dor, que ela pretende deixar para trás”, escreve.

Desde que Lara sumiu, Luana não mexeu mais nos utensílios que a garota usava para ajudar a mãe a fazer bolos em Campo Limpo Paulista — Foto: Arquivo pessoal

Desde que Lara sumiu, Luana não mexeu mais nos utensílios que a garota usava para ajudar a mãe a fazer bolos em Campo Limpo Paulista — Foto: Arquivo pessoal

Laudos

A Polícia Civil confirmou na tarde de quinta-feira (19) que os laudos descartaram abuso sexual e uso de entorpecentes na morte da adolescente.

Os laudos, de acordo com a Polícia Civil, deram negativo para os testes toxicológico e sexológico. Outro laudo, divulgado anteriormente, apontou que a adolescente morreu devido a um traumatismo craniano causado por ao menos quatro golpes na cabeça.

Suspeito

Wellington Galindo de Queiroz, de 42 anos, continua foragido e é considerado o principal suspeito do crime.

Ele tem passagens na polícia por tráfico de drogas, crime contra o patrimônio, associação criminosa e receptação. Ele é considerado foragido desde o dia 28 de março, quando a Justiça decretou a prisão temporária dele por 30 dias pelo assassinato da adolescente.

De acordo com a delegada Ivalda Aleixo, responsável pela Divisão de Capturas do Dope, ele teria passado por São Paulo (SP) no dia 23 de março, na região do Jabaquara.

Ainda segundo a delegada, o suspeito tem família em São Bernardo do Campo(SP) e poderia estar recebendo ajuda para continuar escondido. A polícia irá cruzar informações para descobrir em qual região o suspeito está.

Investigação

A Polícia Civil analisou mais de cinco mil imagens de câmeras de segurança para identificar e localizar o suspeito de matar a adolescente.

De acordo com a instituição, equipes policiais da Paraíba (PB) e de Pernambuco (PE) foram acionadas e também irão ajudar nas buscas, já que Wellington tem contato com pessoas dos dois estados.

Foragido

Segundo o delegado, o suspeito já havia sido ouvido informalmente por telefone e foi intimado a prestar esclarecimentos na delegacia, mas se negou. Após a intimação, a polícia não conseguiu mais contato com o suspeito.

O carro que aparece nas imagens foi localizado em outra cidade e apreendido. Em depoimento, a proprietária do veículo disse que teve um relacionamento com o suspeito, mas que eles não estão mais juntos.

No dia 25 de março, a polícia pediu a prisão temporária do homem, que está foragido. O inquérito segue em segredo de Justiça.

Denúncias sobre o caso podem ser feitas pelo telefone 181. Não é necessário se identificar.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com