Home / Destaque / Com a chegada do frio aumenta preocupação com moradores de rua

Com a chegada do frio aumenta preocupação com moradores de rua

Outra preocupação também é com os animais destes moradores

Com a diminuição da temperatura e a chegada do inverno, entidades e outras associações que atuam pelo bem estar do morador de rua estão se mobilizando para que este público não sofra tanto com as temperaturas frias. Outra preocupação também é com os animais destes moradores que também sofrem neste período.

A Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS)de Jundiaí que mantém rede de atendimento a pessoas em situação de rua durante todo o ano, mas que intensifica a abordagem social, atendimento técnico e acolhimento por conta das baixas temperaturas, visando prevenir riscos advindos do clima e aproveitando-se do considerável aumento de aproximação das pessoas em situação de rua com os serviços da política de assistência social nesse período.

Operação Noites Frias

A UGADS destaca que a conhecida ‘Operação Inverno’, neste ano, adotará como referência não o período do ano em que costumeiramente as temperaturas são mais baixas, mas tomará por referência a temperatura igual ou inferior a 13 graus ou sensação térmica equivalente, independente do mês de ocorrência, e, por isso, passará a se chamar “Operação Noites Frias”. Nessas ocasiões, serão ampliadas em 45% as vagas para acolhimento, sem custos adicionais aos cofres públicos, uma vez que as instituições conveniadas, em reconhecimento à parceria e a importância da causa, aumentam a oferta. Nessa modalidade, enquadram-se duas unidades do Centro Terapêutico Educacional Cristão (CTEC) e a Casa Santa Marta. A UGADS informa ainda que não foi identificado aumento de demanda na noite desse domingo (20) para esta segunda-feira (21), a primeira de ação, e que o Centro de Referência Especializado da Assistência Social para população em situação de rua (Centro Pop) continua sendo o serviço articulador do acolhimento e o Serviço de Obras Sociais (SOS) continua com a prestação de acolhimento na modalidade casa de passagem.

Campo limpo paulista

A Prefeitura de Campo Limpo Paulista informa que os moradores de rua são atendidos pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), que faz o acolhimento e encaminha para entidades sem fins lucrativos da cidade. Também, se o assistido optar, é feita a ponte com sua família. Além disso, o Fundo Social de Solidariedade (Funss) está em pleno vapor com a “Campanha do Agasalho 2018”, que encaminhará as peças em bom estado para os assistidos dos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS) e entidades beneficentes da cidade. No dia 04 de maio foi realizado um jantar beneficente de inverno com valor revertido para a compra de cobertores às pessoas em situação vulnerável.

Jarinu

De acordo com a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social Jarinu não possui casa de acolhida, mas a Secretaria esta sempre a disposição dos moradores que dirigem-se até lá em busca de apoio. Informa, também, que há distribuição de cobertores, agasalhos e roupas em geral, além da disponibilização de passagens, depois de vistoria de assistência social, aqueles que precisam retornar aos seus lares.

 

Leia também

Coral Cidade das Crianças divulga vagas gratuitas para alunos da Emeb da Vila Esperança

A fim de divulgar as vagas para seu primeiro núcleo descentralizado na Vila Esperança, o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com