Home / Destaque / Educação de Campo Limpo Paulista cria 984 salas de aula virtuais e usa sistema de escola particular

Educação de Campo Limpo Paulista cria 984 salas de aula virtuais e usa sistema de escola particular

Os alunos de Campo Limpo Paulista não voltaram para as escolas ainda esse ano mas encontraram um novo mundo virtual com a modernização do sistema educacional feito pela Prefeitura. As aulas que retomaram dia 15 de fevereiro agora, são através de plataforma do Google Sala de Aula, em tempo real, onde professor e estudante interagem, fazem atividades, tiram dúvidas. A plataforma virtual de aprendizagem, implantada em tempo recorde pela equipe de Gestão de Tecnologias Educacionais da Secretaria de Educação pode ser equiparada aos sistemas das melhores escolas particulares do Estado.

São 984 salas de aula virtuais criadas para atender da creche ao 9º ano do Ensino Fundamental, ou seja, 950 professores e 12 mil alunos da rede municipal de ensino. “O Dr. Luiz me propôs o desafio e aceitei”, fala Cleber Lima responsável pelo projeto, ao lado da assistente de tecnologia educacional Alessandra Matos Silva Assis. O mais surpreendente, porém, foi a busca por recursos tecnológicos como o Google Workspace, que oferece todas as ferramentas necessárias ao desenvolvimento pedagógico.

De acordo com Cleber Lima, tanto o prefeito Dr. Luiz Braz como o secretário de Educação, Vinícius Passarin Neves não pouparam esforços na construção destas novas tecnologias. A rede municipal tem aulas através do Google Sala de Aula, onde estão inseridas tecnologias de comunicação, interação, realização de tarefas, avaliações e outras onde o aluno pode encaminhar deveres por foto ou online, fazer recreações, atividades.

Além do aluno, os professores contam com muitos outros recursos de interação e produtividade, realizando o trabalho de planejamento pedagógico e aulas virtuais de forma colaborativa. Quando ele prepara uma aula pode ter imediatamente, também de forma online e integrada, apoio dos coordenadores, diretores, supervisores, enfim da estrutura da Secretaria de Educação. São melhores práticas que agilizam a verificação e a devolutiva.

“O virtual agora não mais separa, ele inclui, todos em uma mesma plataforma, compartilhando, aprendendo, otimizando recursos”, diz Cleber Lima. Para isso acontecer, foram criados cerca de 13 mil e-mails institucionais, garantindo a chave de acesso a todo o sistema. Depois, foram criadas todas as salas e realizada a verificação do sistema. Daí, foram produzidos 30 vídeos tutoriais para tirar dúvidas de acesso e de uso da plataforma, para professores e alunos – em apenas 3 dias, mais de mil acessos.

Sala de aula

O secretario de Educação Vinicius Passarin Neves reconhece que o trabalho foi muito grande e ainda existe um percentual de alunos que não terá acesso a essas novas ferramentas. “A nossa estimativa é que cerca de 10% ainda terá que receber as atividades em papel”. Lembra, porém, que esses alunos serão os primeiros a serem atendidos no retorno de aulas presenciais – ainda sem data definida -, buscando assim correções na aprendizagem.

Ele fala que nada jamais vai substituir o professor e a sala de aula, mas a Secretaria de Educação tem a missão neste momento de oferecer o que há de melhor, no sentido de aproximar professor e alunos. Inclusive, os professores da rede recebem um auxílio de R$ 150,00 para conectividade durante esse trabalho remoto. “Temos planos para melhorar o acesso do professor às redes, nossa expectativa é ter boas novidades em breve”.

Todas as unidades escolares do município estão equipadas com internet para professores e alunos. “A nossa bandeira é que nossa melhor tecnologia são as pessoas”, explica Cleber Lima, que é mestre e doutor pela USP – Universidade de São Paulo, atuando nas áreas da Educação, Artes e Tecnologias, sendo palestrante e formador da Educa Brasil e ainda, professor universitário.

Ele diz que nada substitui a sala de aula e o professor, mas é preciso investir em capacitações porque esse mundo digital veio para ficar e agregar melhorias na educação. ”São novas ferramentas que deixam as aulas melhores, mais dinâmicas e com mais sentido para os alunos, assim, serão incorporadas ao nosso dia a dia, mesmo no pós pandemia”.

Hoje, a equipe de Gestão de Tecnologias Educacionais atende uma média de 150 a 200 suportes por dia. Todo o sistema está em fase de adaptação e adequação. Mas nenhum aluno ficará sem estudar em Campo Limpo Paulista. “Os alunos ausentes terão uma busca ativa por parte das escolas. Esse ano, a educação vai chegar onde e como é preciso”, finaliza Vinícius Neves.

 

 

 

Leia também

Novo Código de Trânsito: o que muda no transporte das crianças

O novo Código de Trânsito Brasileiro traz mudanças importantes no transporte das crianças. Atualmente, os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com