Home / Destaque / Graças à intervenção do Sindicato dos Metalúrgicos, demitidos da Sifco recebem verbas rescisórias

Graças à intervenção do Sindicato dos Metalúrgicos, demitidos da Sifco recebem verbas rescisórias

Para o presidente do Sindicato, Eliseu Silva Costa, a ação foi inédita e serve como exemplo de união

 

 

Após um longo período de mobilizações e negociações apoiadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí, Várzea e Campo Limpo, mais de 200 trabalhadores demitidos da Sifco (atual STJ Forjaria Dana) receberam as verbas rescisórias na manhã do dia 7/06, no auditório da entidade.

A quitação das verbas rescisórias foi possível graças à intervenção do Sindicato, junto com o departamento jurídico, que negociou com a Dana o adiantamento do aluguel devido até dezembro de 2017, para a Sifco. Esse montante foi revertido ao pagamento das verbas rescisórias dos trabalhadores demitidos. Inicialmente, os companheiros demitidos da Sifco tiveram a proposta de pagamento de suas verbas rescisórias parceladas em 30 vezes. A medida não teve a concordância do Sindicato e dos trabalhadores.

O diretor sindical, Natanael Onofre Matias (Caé), acompanhou de perto as mobilizações dos trabalhadores e as negociações jurídicas. “Saímos dessa negociação com resultado positivo. Seria muito ruim para os trabalhadores o parcelamento dessas verbas, ainda mais sabendo que eles contribuíram tanto com a empresa”, disse.

Josué Gonçalves de Souza, que atuava na Sifco há 12 anos, se sentiu inseguro no início das ações, mas não desanimou e agora está satisfeito. “Me sinto realizado. Lá no começo fiquei um pouco desconfiado, mas fui acompanhando o Sindicato e hoje conseguimos”, revelou.

O advogado do Sindicato, Dr. Valtencir Piccolo Sombini, ressaltou que o foco agora é antecipar o pagamento da multa de 40% do FGTS. “Há uma proposta de pagamento para o mês de dezembro, pois nesse período a Sifco receberá o saldo da venda para a Dana, mas estamos buscando outras vias para que esse pagamento seja adiantado aos trabalhadores”, explica Sombini.

Segundo o advogado, a ação teve resolução em tempo recorde. “Poderia ter levado meses, pois se trata de uma recuperação judicial, onde o volume de pedidos e discussões é muito grande e envolve muitas partes. Mesmo assim, conseguimos resolver o caso em 20 dias”, comemorou Sombini. O valor total das rescisões foi de R$ 5.331.916,99.

Para o presidente do Sindicato, Eliseu Silva Costa, a ação foi inédita e serve como exemplo de união. “Isso foi resultado de muita união. Os trabalhadores e o Sindicato atuaram de forma íntegra, não tenho dúvidas que isso auxiliou na evolução do processo. Foi algo que até hoje eu nunca tinha visto. Ficará marcado para a história dessa entidade”, declarou Eliseu.

 

 

Leia também

Com 116 mil doses aplicadas, vacinação em Jundiaí segue sem interrupção, com organização e planejamento

A vacinação contra a COVID-19 em Jundiaí teve início em 21 de janeiro. Desde então, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com