Home / Destaque / Incômodo público: AUJ declara ‘guerra’ contra os pancadões

Incômodo público: AUJ declara ‘guerra’ contra os pancadões

Desde 2017 o decreto lei 16.049 regulamenta lei que proíbe pancadões no estado; A Polícia Militar é a responsável pelo cumprimento da lei

A região da Aglomeração Urbana de Jundiaí (AUJ) está realizando ações de combate aos pancadões. Desde o início do ano, as cidades de Várzea Paulista, que já vem atuando para reduzir esta prática, Campo Limpo Paulista e agora, Jundiaí, anunciaram mais ações conjuntas entre forças policiais e de segurança, além de juizado de menores, para coibir esta prática nas cidades. Desde 2017 o decreto lei 16.049 regulamenta lei que proíbe pancadões no estado, restringindo os ruídos causados por aparelhos de som instalados em veículos estacionados em vias públicas ou calçadas particulares. A Polícia Militar é a responsável pela fiscalização do cumprimento da lei.

No último domingo (10), foi a vez de Jundiaí anunciar que os “pancadões” inoportunos e que perturbam a ordem pública estão com seus dias contados na cidade.  Segundo o prefeito Luiz Fernando Machado, a importunação ao sossego do cidadão de bem em Jundiaí não será mais tolerada e a cidade vai intensificar as operações especiais com a Guarda Municipal junto à Polícia Militar.

O gestor de Segurança Municipal, Paulo Sérgio de Lemos Giacomelli Stel, informou que serão adotadas ações integradas entre Guarda Municipal, PM, Polícia Civil e outras unidades de gestão, como a de Mobilidade ou o setor de Fiscalização do Comércio para coibir todo e qualquer ato com “pancadões” que signifique perturbação à ordem pública.

No dia 29 de janeiro, a Operação Pancadão voltou a fiscalizar os comércios de Várzea Paulista. A ação conjunta da PM, GCM, DISE (Polícia Civil) e Fiscalização do Comércio interditou seis comércios na Vila Real e um na Avenida Fernão Dias Paes Leme, na região central da cidade.

A primeira fase do trabalho foi de notificações e agora, devidamente informados sobre a ordem de fechamento dos estabelecimentos às 22 horas, os comércios que descumpriram a lei foram interditados. Um dos objetivos é separar e identificar o comércio bom dos ruins.

De acordo com o chefe de investigações da DISE, Leandro Basson, a DISE realizou diversas operações e o resultado foi a prisão de um traficante e apreensão de entorpecentes que seriam utilizadas nos bailes.

O comandante da Guarda Municipal de Várzea Paulista Pedro Eli, relata que desde que começaram as operações, a união das equipes de Trânsito, Fiscalização do Comércio, PM, Polícia Civil e GCM conseguiram devolver a tranquilidade ao local e os trabalhos devem continuar.

Em Campo Limpo Paulista a Secretaria de Segurança de Campo Limpo Paulista tem realizado várias ações e na última delas, foram fiscalizados 16 comércios e 14 deles não contavam com alvará para funcionamento.

Segundo o secretário de Segurança, José Roberto Ferraz, os moradores de vários bairros atendidos têm feito reclamações sobre casos de perturbação de sossego, com carros de som com volumes além do suportado, em horários inadequados. A ideia é realizar, com frequência, ações para inibir essas atividades.

 

Leia também

37ª Festa do Morango de Jarinu e Atibaia começa em 23 de outubro

Evento será gratuito e irá ocorrer nos finais de semana de 23, 24, 30 e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com