Home / Destaque / Jundiaí terá ‘Patrulha Guardiã Maria da Penha’ para atendimento de violência contra a mulher

Jundiaí terá ‘Patrulha Guardiã Maria da Penha’ para atendimento de violência contra a mulher

Todo efetivo da Guarda Municipal de Jundiaí (GMJ) passará por atualização sobre o tema durante a realização do Estágio de Qualificação Profissional 2019 (EQP), e na sequência um grupo especializado de guardas municipais fará parte da Patrulha Guardiã Maria da Penha, dentre eles os GMs Melo e Pontes, responsáveis por ministrar o conteúdo diferenciado neste ano de EQP.  “Não podemos admitir que em pleno século XXI, quando se tem tantos avanços e tecnologia, ainda aconteça a violência contra qualquer pessoa, principalmente a mulher. A criação da Patrulha Guardiã Maria da Penha em Jundiaí representa um dos mais importantes compromissos da atual Administração municipal; além do trabalho comunitário realizado diariamente pela Guarda Municipal de Jundiaí, no sentido de coibir a violência e a criminalidade, é o primeiro passo para fazer mais pela mulher que sofre violência física e emocional: esta é eterna. O mais correto seria não precisar ter este tipo de serviço, mas é a realidade, torna-se emergencial oferecer um trabalho especializado”, declara o titular de Segurança Municipal, Paulo Sérgio de Lemos Giacomelli Stel (Jacó).

Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE apontam que 2,4 milhões de mulheres sofrem agressões de pessoas conhecidas no intervalo de um ano, das quais 950 mil são brancas; 1,5 milhão de negras; e 22 mil são indígenas ou orientais. Acredita-se que essa troca de experiência e informações pode levar a padronizar de um modo geral o atendimento e garantir assim a maior segurança a essas vítimas.

Ao ser implantada, a Patrulha Guardiã Maria da Penha oferecerá acompanhamento especializado preventivo e pontual que garanta a proteção às mulheres em situação de violência e possuem medidas protetivas de urgência expedidas pela Justiça, com base na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006).

Conteúdo programático

As aulas teóricas também incluem a prática, com dinâmicas realizadas entre os alunos: durante a abordagem, o conteúdo apresenta noções de Direitos Humanos: aspectos históricos na condição da mulher; feminismo; as relações de gênero; o reconhecimento da dignidade da pessoa humana; Declaração dos Direitos Internacionais do Homem de 1928/1929; a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 10.12.1948; Direitos Humanos na contemporaneidade: a violência; os grupos vulneráveis; Direitos Humanos das Mulheres.

Leia também

Passeio Giro Vechio reúne 100 ciclistas com bikes antigas percorrendo estradas e propriedades rurais em Louveira

Evento na Estação Ferroviária teve exposição, gastronomia e shows para marcar o centenário da primeira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com