Home / Destaque / No Brasil, existem mais de 30 mil pessoas na fila à espera de um transplante; Campanha quer sensibilizar população

No Brasil, existem mais de 30 mil pessoas na fila à espera de um transplante; Campanha quer sensibilizar população

Nos últimos cinco anos houve um aumento de doadores de órgãos. De 2015 para 2016, o Brasil obteve aumento de 3,5% nas doações, atingindo 14,6 doadores por milhão de população (pmp). Embora este resultado seja favorável, houve leve redução na recusa familiar no país, o que mantém o índice de rejeição ainda alto. Atualmente, 43% das famílias brasileiras entrevistadas não autorizam a doação dos órgãos (em 2015, o índice era de 44%). O objetivo para 2017 é atingir a taxa de 16,6 doadores/pmp no Brasil.

Pensando em chamar a atenção das pessoas para um assunto que, na maioria dos casos, salva vidas, a ABTO – Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos – lançou a campanha ‘Die and Let Live’ . A ideia consiste em viralizar um vídeo via redes sociais, alcançando o maior número de pessoas até chegar ao ex-Beatles, Paul McCartney. No vídeo, o brasileiro Keke que teve o coração transplantado há um ano faz o apelo ao rockeiro, pedindo que ele cante a música invertida “Die and Let Live”, em apoio a doação.  (Assista e compartilhe o vídeo). “Paul tem milhões de seguidores nas redes sociais e é um influenciador desde sempre. Nosso pedido é que ele grave um vídeo cantando a nossa versão da clássica canção “Live and Let Die”, do Paul McCartney & The Wings, para dar a dimensão e importância para o assunto. Queremos que as pessoas se sintam incentivadas a tornarem-se doadoras de órgãos”, explica Roberto C. Manfro, Presidente da ABTO.

A doação de órgão ainda é preocupante e relativamente pequena perto das reais necessidades do País. Para se ter uma ideia, o estado que mais se destacou em relação a doação de órgãos foi o Paraná com aumento de 42% e registro de 30,9 doadores pmp. Seguido por Santa Catarina (22% e 36,8 doadores pmp), Rio Grande do Sul (15% e 25,2 doadores pmp) e Ceará (6% e 24,9 doadores pmp). Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Amapá não registraram doação de órgãos no ano passado.

Os números apresentados pelos estados acima estão próximos dos países com destaque na doação como Espanha (39,7 pmp); Croácia (39,0 pmp); Bélgica (32,4 pmp); Portugal (28,6 pmp) e EUA (28,5 pmp).

O país ainda apresenta disparidade geográfica. Enquanto a Região Sul do país tem 30,1 doadores pmp, a região norte possui apenas 3,5 doadores pmp. A Região Sudeste apresenta 15,5 doadores pmp; Região Nordeste 9,9 doadores pmp e Região Centro-Oeste 9,6 doadores pmp.

O número de transplantes de pulmão registrou aumento nacional de 24,3% nos números absolutos; seguido pelo transplante pâncreas com aumento nacional de 11,7% e transplante de córnea com aumento de 4,9%. O transplante hepático registrou aumento nacional de 3,9%; o transplante cardíaco registrou aumento nacional de 1,1%  e o transplante renal teve queda de 1,7%.

A corrente lançada pela ABTO chama atenção para os números no Brasil, mas principalmente para a falta de cultura da doação. O assunto ainda é tabu para muitas pessoas e esse estigma precisa ser quebrado. A campanha foi criada pela Leo Burnett Tailor Made.Incentive essa campanha você também. Assista ao filme e compartilhe em suas redes.

Seja um doador de órgãos!

https://www.facebook.com/keke.nyg/posts/1452916201393555

#Sing4LifePaul #DieAndLetLive #ABT

Leia também

ESPORTE – Louveira abre pré-inscrição para 23 modalidades de escolinhas esportivas nesta terça-feira (11)

Pré-Cadastro pode ser feito por formulário disponível no site da Prefeitura, telefone, e-mail ou whatsapp …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com