Home / Destaque / Varejo na região de Jundiaí tem o segundo melhor desempenho do Estado na geração de empregos formais em 2017

Varejo na região de Jundiaí tem o segundo melhor desempenho do Estado na geração de empregos formais em 2017

Segundo Sincomercio Jundiaí e Região e a FecomercioSP, comércio varejista da região criou 1.049 novos postos de trabalho no ano, o que representa uma alta de 1% em relação a 2016

 

Apesar de ter fechado 316 vagas celetistas em dezembro de 2017, resultado de 3.637 admissões contra 3.953 desligamentos, o mercado de trabalho do comércio varejista da região de Jundiaí apresentou o segundo melhor desempenho do Estado de São Paulo, tanto em termos absolutos quanto proporcionais. Em 2017, foram criados 1.049 postos de trabalho, o que representa uma alta de 1% do estoque ativo em relação a 2016, atingindo 104.540 trabalhadores com carteira assinada.

As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e do Sincomercio Jundiaí e Região, elaborada com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e do impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, obtido com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). “Esses dados refletem o potencial de Jundiaí e Região no mercado de trabalho e são resultado do empenho dos empresários, que começam a dar sinais de otimismo nas contratações, após a crise econômica que se estende nos últimos anos. O aumento das admissões no segmento varejista favorece o comércio no geral e, por isso, tivemos o segundo melhor desempenho no Estado”, analisa Edison Maltoni, presidente do Sincomercio Jundiaí e Região.

Cinco das nove atividades analisadas registraram aumento no estoque de trabalhadores formais em relação a dezembro de 2016, com destaque para as lojas de vestuário, tecidos e calçados (3,7%); e supermercados (2,7%). Os maiores recuos foram registrados pelas atividades de lojas de móveis e decoração (-4,7%); e de materiais de construção (-2,4%).

Leia também

OMS afirma que não há morte vinculada à variante Ômicron até agora

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que ainda não foi registrada nenhuma morte causada …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com