Home / Destaque / Várzea Paulista discute reflexos da Base Nacional Curricular no plano e trabalho de escolas municipais

Várzea Paulista discute reflexos da Base Nacional Curricular no plano e trabalho de escolas municipais

Cerca de 600 professores municipais receberam uma palestra sobre o tema e puderam colaborar com o debate, na quarta-feira (26)

A Prefeitura de Várzea Paulista promoveu Na quarta-feira (26), dois encontros com o tema “Os Impactos da BNCC (Base Nacional Comum Curricular) no Currículo e na Prática Pedagógica”. Cerca de 600 professores da Rede Municipal de Ensino, divididos em duas reuniões de manhã e à tarde, organizadas pela Unidade Gestora de Educação, receberam uma palestra de Maria Maura Gomes Barbosa, educadora da comunidade educativa CEDAC, na área de capacitação escolar. “A ideia é fazer uma reflexão sobre a nova BNCC, para dialogar com os educadores sobre como implantar ou adaptar a proposta curricular municipal, de acordo com as diretrizes nacionais estabelecidas. Até 2019, todo o país precisará aplicar esses planos em concordância com as novas exigências”, explica.

A BNCC foi um documento concluído ao final do ano passado, com a contribuição de educadores de todo o país, que estabelece metas acerca de habilidades e competências a serem desenvolvidas no ambiente escolar, desde o Ensino Infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental. “Em 2016 e 2017, fizemos o exercício do debate em nosso município e produzimos nossas contribuições. Agora é o momento de revisitar nossa proposta curricular, formulada com a participação de profissionais de toda a Rede Municipal, no mesmo período”, afirmou a gestora executiva de Educação, Magali Souza. “Temos espaço aberto para dialogar e elaborar objetivos claros e específicos”.

A palestrante ressaltou a importância histórica do momento vivido pela educação do país. “É a primeira vez, neste país, em que se discute a educação desde a Educação Infantil ao Ensino Médio, apesar dele não estar contemplado por essa BNCC que estamos usando como base”, declarou. “Não podemos perder a oportunidade de discutir e fazer parte da história da educação”, incentivou.

O caráter democrático da discussão em curso também foi destacado pela educadora. Maria deixou claro que o resultado depende da adaptação do trabalho depende das contribuições de todos. “Não é possível delegar funções ao outro, se todos não estão envolvidos na discussão do problema”.

A escola pode ser a responsável por permitir à comunidade exercer seu direito à educação. Segundo a palestrante, é preciso pensar em como se pode fazê-lo. O papel de cada docente é fundamental, na avaliação da palestrante. “O professor, mais do que ninguém, é quem faz a transformação social”.

O gestor municipal de Educação e vice-prefeito, Rodolfo Braga, aproveitou a oportunidade para agradecer a presença da palestrante e desejar um ótimo 2018 aos educadores. “Desejo um início de ano letivo, com o enfrentamento de nossos desafios e a obtenção de novos avanços. Espero que vocês acolham bem os novos gestores municipais, escolhidos por meio de um processo seletivo concluído neste mês”.

No início da tarde, Maria elogiou a participação dos docentes no encontro da manhã. “Foi muito bom! Eles participaram bastante”, comemorou.

 

Próxima discussão

Em 6 de março, haverá o Dia D de Mobilização. Na data, diretores e coordenadores pedagógicos mediarão encontros com os educadores, nas escolas municipais. A ideia é promover um amplo debate sobre as adaptações necessárias no plano curricular e na prática pedagógica municipais à BNCC.

Leia também

“No trânsito, sua responsabilidade, salva vidas”.

Este é o tema da Semana Nacional de Trânsito (SNT) que é realizada anualmente entre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com